Autossabotagem: quando você é seu maior inimigo

Dia desses assisti uma série de vídeos por recomendação do curso de autoconhecimento que estou fazendo, o Trilha, do Na Prática (“nossa, Jé, você gostou mesmo desse pessoal, né?” Sim, inclusive super recomendo o curso!). A série se chama Acelere sua Carreira e o tema é a autossabotagem.

Pra sintetizar a ideia do que é autossabotagem, existem diferentes características que desenvolvemos como mecanismos de defesa para lidar com nosso problemas. Elas nos fazer fugir de situações incomodas focando no alívio imediato, mas podem também nos afastar da solução daquele problema e nos impedir de alcançar nosso objetivo. A autossabotagem é, como o nome diz, quando nós mesmos nos privamos de conquistar o que desejamos.

Bem, mas como eu sei que essa coisa de autossabotagem está rolando?” A série apresentou 6 características, as mais recorrentes, com exemplos de situações em que essa defesa ocorre no nosso dia a dia e a ideia da autossabotagem ficou mais clara. Vale muito a pena assistir os vídeos para entender melhor. As características apresentadas foram:

  • Auto exigência: quando alguém demanda demais de si e se pune na realização das coisas. É a pessoa que se cobra demais, que sempre acha que o trabalho feito nunca está bom o bastante.
  • Ansiedade: é aquele que sempre pensa no próximo passo e acaba nunca focando no momento presente. Tem necessidade por resultados instantâneos, como alguém que está na faculdade e já está focado em como sua carreira vai progredir.
  • Agradabilidade: aquele que tem a necessidade de ser aprovado, de impressionar as pessoas com quem convive. É o que quer ajudar sempre, ser bonzinho, mas acaba esquecendo de si e não se auto reconhece.
  • Esquiva: aquele que foge dos problemas ao invés de enfrentá-los. Tem dificuldade de expor sua opnião ou reconhecer que está errado e evita situações desconfortáveis que podem surgir, como a de uma discussão.
  • Procrastinação: como o Eddie já falou aqui no blog, aquele que dia as atividades que precisa fazer, deixando tudo pra última hora e focando na recompensa instantânea, o que é mais fácil ou divertido.
  • Vitimização: quando a pessoa culpa os outros ou o ambiente por algo que ocorreu. Aquele que, mesmo sabendo que existe trânsito no caminho para a aula, usa isso como desculpa e se põe a mercê do ambiente ao invés de ter uma atitude e sair mais cedo para chegar no horário.

O vídeo também explica como lidar com cada um desses autossabotadores e deixa muito claro a importância do autoconhecimento. É importante se conhecer e reconhecer quem são seus sabotadores. Se você, como eu, se viu em muitas dessas situações já estamos um passo mais perto da solução pois já sabemos qual o problema. E se nessas situações eu sou meu próprio inimigo faz muito sentido que seja eu a saída (nada de vitimização!).

screenshot_2016-09-28-09-49-43

Afinal, o que há de tão ruim em não concordar com as pessoas ou porque elas tem que me aceitar ou me aprovar? Não seria melhor tentar resolver o problema ou reconhecer um erro que adiar tal discussão e tornar o problema ainda maior por isso? E se você definir prazos e, por que não, recompensas por terminar suas atividades dentro desses prazos para fazer as coisas acontecerem e deixar de se frustrar com seu atraso? São pequenas atitudes que tomamos para melhorar o nosso desempenho e tudo parte de nós mesmos, não tem segredo.

Para desarmar esses sabotadores temos que reconhecer como somos e como queremos ser. E, claro, não podia ser diferente, fazer essa mudança acontecer. Não adianta se iludir e dizer que está tudo bem ou que a culpa é de seja-lá-o-que-for. Assuma as rédeas, a responsabilidade por sua vida, encare o problema e seja a mudança que você quer ver.

Curiosa, engenheira, independente e detalhista. Adora viajar, tirar fotos e mais um monte de coisas.

3 Replies to “Autossabotagem: quando você é seu maior inimigo”

  1. Fantástico esse texto, Jé! Enquanto jovens nos deparamos com pelo menos 1 desses 6 pontos todos os dias na nossa jornada de vida. E como é importante a gente reconhecer que estamos nos limitando e usando muito ate mesmo de autopiedade pra justificar nossas desistências e sabotagens. Gostei muito! Gostaria de ler mais sobre essa temática aqui 🙂 parabéns pelo blog migos!

    1. Muito obrigada, Luara! 😀
      Super me identifiquei com os vídeos! Vale muito a pena assistir e investir nesse autoexame de consciência pra tentar melhorar.
      Pode deixar que tô preparando mais post nesse estilo! 😉

Deixe uma resposta