Nem tão longe que eu não possa ver…

Nessas idas e vindas, e tendo literalmente rodado “meio mundo”, me peguei reclamando algumas vezes sobre longas distâncias e, em mais uma viagem, parei pra pensar sobre significado disso. Moro longe da casa dos meus pais, namoro à distância, já fiz intercâmbio e fiquei um tempo do outro lado do mundo e essa palavrinha está sempre lá. O longe, distante, far away, que não se limita ao aspecto físico mas tem tudo a ver com como a gente encara tudo isso (calma, você vai entender…).

A distância, que é definida como a “relação, estado ou fato de ser ou estar distante ou remoto no espaço” pelo dicionário, pode ser medida de diferentes formas. Como já disse, moro fora da casa dos meus pais em Montes Claros-MG, há 640 quilômetros de distância deles. Essa distância ainda se agrava pelo fato de eu precisar de dois ônibus para chegar lá, o que envolve preocupações com a compatibilidade de horários, o horário de chegada, o preço das passagens e mais algumas outras coisas. A distância só é vencida depois de cerca de 12 horas de viagem e alguns comprimidos de Dramin. Isso quando tenho a disponibilidade de dedicar um dia só para a viagem (quem mora longe sabe muito bem do que eu estou falando). E isso é só um exemplo da situação já que minha família está espalhada em outras cidades e estados, complicando um pouco mais a coisa, e que meu namorado também mora longe, há 215 quilômetros de Viçosa, e a história não muda muito quanto às dificuldades pra gente se visitar. A distância medida em quilômetros ou em horas pra chegar onde se quer, gera às vezes um pouco de desânimo e você acaba se envolvendo num misto de emoções que não tem muita explicação. Um dia você acorda louco de vontade de ir mas não pode e quando pode morre de preguiça de ir só de lembrar da viagem que vai ter que fazer pra chegar tão longe. As curvas e retas que dividem você do destino desejado só te fazem pensar em desenvolver esse tal teletransporte que a gente vê na TV.

Mas aí penso em outro conceito de distância. Eu não me sinto longe da minha família e do meu namorado. Graças à tecnologia, são mil e uma as ferramentas para trazer todo mundo pra perto de mim. Consigo falar com o Eddie o dia todo por mensagens, saber da minha mãe o que está acontecendo lá em casa e brincar com minha sobrinha pela tela do celular, tudo isso à distância. E isso é engraçado porque existem pessoas que estão fisicamente presentes, perto da gente, mas que parecem estar longe, há milhas de nós. Não é a distância contada pelos quilômetros rodados ou no relógio pelas horas de viagem, mas a que a gente cria ou, simplesmente, faz desaparecer. E quando me perguntam como eu consigo viver “longe” (sim, entre aspas) de todo mundo é isso que conta na minha resposta. Você só vai estar longe se você quiser! Morei na Austrália e, por 12 meses, a distância que eu estava era imensurável pra alguns. Mas em momento nenhum me deixei ficar longe de muitas pessoas, elas eram parte da minha vida lá do outro lado do mundo. Colegas de faculdade, amigos, gente que eu fiquei sem ver esse tempo todo continuaram presentes na minha vida e a distância que me assustou quando eu estava indo pra lá pareceu desprezível quando eu quis estar com eles mesmo morando do lado de lá.

Reveillon (2)

Talvez seja esse o segredo da coisa. O estar longe ou perto depende muito mais da nossa disponibilidade do que dos quilômetros rodados. De nenhuma forma a presença física vai ser substituída, mas  a gente precisa usar de artifícios quando se propõem a encarar essa distância e pra driblar o que muitas vezes puxa a gente pra baixo. É preciso confiança pra acreditar que vai dar certo assim. É preciso paciência pra lidar com o tempo que demora a passar e muita coragem pra lidar com a tal da saudade. A verdade é que a distância não diminui a importância de quem você quer manter por perto e de quem quer ficar perto de você. E, como já disse o Darvin (a banda, não o da teoria da evolução!) “quem foi que disse que pra tá junto precisa tá perto?”.

Curiosa, engenheira, independente e detalhista. Adora viajar, tirar fotos e mais um monte de coisas.

Deixe uma resposta